Já saiu a Edição n.º 1993 - 1 de Agosto de 2020 - Ano LXXVII

Quinzenalmente consigo, o Famoso

«Parabéns por mais um aniversário - 76º. Gostamos muito de ler o melhor jornal Português.» (Assinante 9313)

Faça-se assinante

  • Edição em papel que receberá em sua casa pelos CTT
  • Edição em formato digital para ler online com todo o conteúdo da Edição em papel

* Para ler Edições em papel desde o n.º 1 em formato PDF clique aqui (não precisa de ser assinante) *

Acaba de sair

Padre Horácio - Crónicas Escolhidas e Documentário Fotográfico

Editorial Casa do Gaiato

«O testemunho de vida de Padre Horácio, aponta todo ele para os outros. A sua vida é um permanente correr para os outros. Outros que, primeiramente, são os Pobres. Os de dentro, da Casa do Gaiato de Coimbra que Pai Américo lhe pôs nas mãos, e os de fora, fogo que também recebeu de Pai Américo, o Património dos Pobres.

Uma situação reveladora da sua permanente atenção aos outros, em que o acompanhei, deu-se quando teve o seu primeiro AVC, que foi rastrear ao Hospital de Santo António no Porto (onde Pai Américo entregou o seu espírito ao Senhor da Vida). Nas horas que ali passou, não centrou o seu pensamento em preocupações pessoais quanto às consequências que podiam advir deste problema de saúde; antes, estava atento às dificuldades dos outros que estavam à sua volta.

Também ele fez seu o amor ao espírito de pobreza. Este amor não nasceu de um pensamento, obviamente, nasceu, isso sim, de uma experiência. Atrevia-me referi-la a um acontecimento que Padre Horácio descreve, do início da sua vida como Padre da Rua, num encontro com Pai Américo, em que este lhe mostra as suas calças rotas num joelho, e o aponta como sinal da pobreza e desprendimento, a riqueza maior da Obra da Rua. (...)

Da Apresentação, Padre Júlio

Últimos LIVROS publicados pela nossa Editorial


Venerável Padre Américo

A Direcção da Obra da Rua ou Obra do Padre Américo


Museu - Memorial Padre Américo / Obra da Rua

Aberto para visitas - marcação antecipada.

Consulte horário e marque visita em MUSEU.


Entrada livre.


Instalado no edifício das Escolas da

Casa do Gaiato de Paço de Sousa.

do livro da Editorial Obra da Rua

 «VIAGENS»

«... Afinal de contas parece-me que não sai o livro «De como eu subi ao altar». Vamos a mais de meio caminho de viagem e eu não tenho feito nada. De Lisboa até ao ponto aonde esta escrevo, o mar tem sido tranquilo. Dentro de mim também há paz. Papel não falta; o Júlio preveniu-se. Quanto à caneta, ele é verdade que me roubaram no porto das Canárias a que eu trazia. No entanto não é óbice, arranjei logo outra. Já tenho uma caneta. De maneira que nem é falta de tempo, nem de papel, nem de disposição, nem nada. É o «eu». Sinto dificuldade. Encalho. Emperro. Isto não vai prá frente. Já me lembrei de pôr um «ele», baseado naquela frequente dúvida do povo que me vê passar: «É ele? Será ele?». Ora parece-me que com este «ele», eu poderei fazer o livro. Vamos a ver...»

Padre Américo, Viagens, 2.ª Edição, pp. 197-198

As nossas CASAS - Encontre a informação que procura